Fazendas do Café

Desengavetando fotos e Sentimentos

"Somos assim: Sonhamos o voo mas tememos a altura. Para voar é preciso ter coragem para enfrentar o terror do vazio. Porque é só no vazio que o voo acontece. O vazio é o espaço da liberdade, a ausência de certezas. Mas é isso o que tememos: o não ter certezas. Por isso trocamos o voo por gaiolas. As gaiolas são o lugar onde as certezas moram." - Os imãos Karamazov, Fiódor Dostoiévski.

Em toda a minha vida eu nunca estive tão perto de voar quanto estou hoje. Escolhi sair da gaiola, escolhi voar, escolhi me casar, escolhi mudar de país, escolhi não saber o que vai acontecer amanhã e nem depois.

Sou da opinião de que nada é por acaso. Há 7 meses atrás fiz essas fotos, fruto do que seria meu trabalho de conclusão de curso em Design (fotografias analógicas de fazendas históricas do café no interior de SP, revelados com Caffenol), porém o destino ou sei lá quem, quis estragar os 3 rolos de filmes que fotografei nesse dia (essas são as cópias digitais que fiz apenas para registro, as analógicas se perderam) e eu não entreguei meu TCC. Sei que foi assim.

Ruim? Nem um pouco! Nessa mesma viagem eu comemorei 7 anos de namoro com minha então namorada, hoje esposa e foi uma viagem muito feliz, cheia de aventura e momentos incríveis.

Assim como a música a fotografia vem em minha vida como algo natural e essêncial, prazeroso e sincero, nunca demais, nunca forçado, algo que me leva à pessoas e lugares inesperados, quase sempre mágico. Eu fotografo, escolho e trato essas fotos com a mesma alegria que faço um show com minha banda ou tomo uma cerveja com meus amigos.

Hoje é meu último dia com minha "Canon 50D" e assim como meu querido amigo e companheiro violão, essa máquina foi fundamental para que eu construísse minha essência e chegasse até aqui, com coragem para voar.

Deixo o país em breve e minha querida máquina fica para meu querido irmão, que como eu à alguns anos atrás, está a procura de uma profissão que o apaixone, uma atividade que dê sentido em sua trajetória, um último prazer que essa pequena Canon vem me dar.

Não vou deixar de fotografar, assim como minha música nunca vai parar. A máquina vai ser outra e o violão também, mas a paixão e o sentido continuam os mesmos, sempre.

Obrigado esposa (loirinha), irmão (peahzinho), Canon 50D e violão... que venham mais fotos, música, reflexões e aventuras por aí...um dia nos reencontramos.

Local das fotos:

Fazenda Santa Maria do Monjolinho, São Carlos/SP (fotos 1 à 13) www.santamariadomonjolinho....

Fazenda Quilombo, Limeira/SP (fotos 13 à 18) www.fazendaquilombo.com/por/

*Um agradecimento especial à dona Maria José, pela conversa e carinho.

  1. f/9
  2. 1/250 sec
  3. 37mm
  4. ISO 400
  1. f/11
  2. 1/160 sec
  3. 39mm
  4. ISO 400
  1. f/9
  2. 1/125 sec
  3. 27mm
  4. ISO 400
  1. f/16
  2. 1/60 sec
  3. 28mm
  4. ISO 400
  1. f/8
  2. 1/320 sec
  3. 29mm
  4. ISO 400
  1. f/8
  2. 1/50 sec
  3. 37mm
  4. ISO 400
  1. f/5.6
  2. 1/30 sec
  3. 27mm
  4. ISO 400
  1. f/5.6
  2. 1/640 sec
  3. 36mm
  4. ISO 400
  1. f/5
  2. 1/320 sec
  3. 43mm
  4. ISO 400
  1. f/5.6
  2. 1/800 sec
  3. 49mm
  4. ISO 400
  1. f/11
  2. 1/100 sec
  3. 30mm
  4. ISO 400
  1. f/11
  2. 1/100 sec
  3. 35mm
  4. ISO 400
  1. f/11
  2. 1/100 sec
  3. 20mm
  4. ISO 400
  1. f/20
  2. 1/100 sec
  3. 37mm
  4. ISO 400
  1. f/11
  2. 1/400 sec
  3. 42mm
  4. ISO 400
  1. f/11
  2. 1/400 sec
  3. 32mm
  4. ISO 400
  1. f/11
  2. 1/320 sec
  3. 18mm
  4. ISO 400
  1. f/11
  2. 1/320 sec
  3. 25mm
  4. ISO 400